sábado, 3 de março de 2012

Uma mensagem que vale a pena compartilhar, e acima de tudo pura reflexão nas nossas vidas.


  
 Paradoxo do Nosso Tempo / George Carlin
 Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos
 freqüentemente. Nós bebemos demais, gastamos sem critérios. Dirigimos
 rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde,
 acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV
 demais e raramente estamos com Deus.
 Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.
Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos
 à nossa vida e não vida aos nossos anos.
 Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a
 rua e encontrar um novo vizinho. Conquistamos o espaço, mas
 não o nosso próprio.
 Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.
Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo,
 mas não nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos
 menos; planejamos mais, mas realizamos menos.
Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.
 Construímos mais computadores para armazenar mais
 informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos
 comunicamos cada vez menos.
 Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta;
 do homem grande, de caráter pequeno; lucros acentuados e
 relações vazias.
 Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas
 chiques e lares despedaçados.
Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral
 descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das
 pílulas 'mágicas'.
Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na
 dispensa.
 Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas
 não estarão aqui para sempre.
 Lembre-se dar um abraço carinhoso em seus pais, num amigo,
 pois não lhe custa um centavo sequer.
 Lembre-se de dizer 'eu te amo' à sua companheira(o)  e às pessoas que ama,
mas, em primeiro lugar, se ame... se ame muito.
 Um beijo e um abraço curam a dor,quando vêm de lá de dentro.
Por isso, valorize sua familia,  seus amores, seus amigos,  a pessoa que lhe ama...
 E, aquelas que estão ao seu lado, sempre..!

Sem comentários:

Carlos Drumond de Andrade escreveu:

"Casa arrumada é assim:Um lugar organizado, limpo, com espaço livre pra circulação e uma boa entrada de luz.Mas casa, pra mim, tem que ser casa e não um centro cirúrgico, um cenário de novela.Tem gente que gasta muito tempo limpando, esterilizando, ajeitando os móveis, afofando as almofadas...Não, eu prefiro viver numa casa onde eu bato o olho e percebo logo:Aqui tem vida...Casa com vida, pra mim, é aquela em que os livros saem das prateleiras e os enfeites brincam de trocar de lugar.Casa com vida tem fogão gasto pelo uso, pelo abuso das refeições fartas, que chamam todo mundo pra mesa da cozinha.Sofá sem mancha?Tapete sem fio puxado?Mesa sem marca de copo?Tá na cara que é casa sem festa.E se o piso não tem arranhão, é porque ali ninguém dança.Casa com vida, pra mim, tem banheiro com vapor perfumado no meio da tarde.Tem gaveta de entulho, daquelas que a gente guarda barbante,passaporte e vela de aniversário, tudo junto...Casa com vida é aquela em que a gente entra e se sente bem-vinda.A que está sempre pronta pros amigos, filhos...Netos, pros vizinhos...E nos quartos, se possível, tem lençóis revirados por gente que brincaou namora a qualquer hora do dia.Casa com vida é aquela que a gente arruma pra ficar com a cara da gente.Arrume a sua casa todos os dias...Mas arrume de um jeito que lhe sobre tempo pra viver nela...E reconhecer nela o seu lugar."

Google+ Badge

A minha Lista de blogues